Cidadania em Contas encerra atividades de 2019 em Ermelino Matarazzo Notícias

29/11/2019 17:30

O projeto Cidadania em Contas terminou sua edição 2019 com a 14ª apresentação realizada na Subprefeitura Ermelino Matarazzo, na zona leste da capital, na quinta-feira (28/11). Trata-se de uma iniciativa que busca mostrar à sociedade qual o papel e a relevância do Tribunal de Contas do Município de São Paulo (TCMSP) para a cidade.

Segundo o assessor da Presidência do TCMSP, Djair Galvão, “a proposta tem dois lados: ela é simples na concepção e ousada no projeto de ida do Tribunal até os territórios, com a finalidade de conhecer melhor as demandas dos cidadãos e tornar a Corte conhecida nesses locais”, completou Galvão. Além dele, os demais expositores do projeto falaram sobre a ação do Tribunal, seus objetivos e quais as ferramentas que utiliza para realizar o seu trabalho.

Representando o subprefeito da região, Flávio Ricardo Sol, seu chefe de gabinete, Ivanildo da Silva, agradeceu a oportunidade que o TCMSP permitiu aos funcionários e, principalmente, à população de conhecer mais sobre o trabalho de fiscalização de obras e serviços para evitar irregularidades. “Muitas vezes a gente escuta sobre o Tribunal de Contas aprovando e desaprovando contas, mas a gente não tem essa proximidade de vocês, como nesse projeto. [...] Isso, para nós que temos aqui um conselho participativo, pessoal que participa das ações da subprefeitura, é de suma importância para que possamos entender a metodologia, os critérios e tipo de trabalho que o Tribunal faz para que a cidade de São Paulo se torne mais justa, legal e sem desperdício de dinheiro público", comentou Ivanildo da Silva.

Para falar sobre os trabalhos realizados pelos técnicos do TCMSP, a coleta de dados, a fiscalização do orçamento e dos gastos municipais, a auditora da Coordenadoria IV, Helen Steffen, iniciou sua apresentação. Já a atuação da Escola de Gestão e Contas (EGC) do TCMSP, como a realização de cursos de extensão e pós-graduação, foi exposta pelo coordenador da unidade, professor André Galindo.

De volta ao palco, o assessor Djair Galvão mostrou as informações do portal e os todos os canais de comunicação do TCMSP. Enquanto o ouvidor do Tribunal, Dirceu Mendes, falou sobre o trabalho desse setor da instituição.

No encerramento, os moradores puderam tirar suas dúvidas sobre o TCMSP com o advogado e assessor da Presidência, Rosano Maieto. Três munícipes ganharam o livro comemorativo dos 50 anos do TCMSP entregue pela assessora de Gabinete Sandra Caruso. Os ganhadores foram Carlos Augusto Santos; Fernando da Costa e Silva e Janaina de Cassia Maia Bonafi.

Demonstrando satisfação diante dos esclarecimentos feitos pela equipe do TCMSP, algumas pessoas quiseram dar seu depoimento. Foi o caso do comerciante e supervisor de esporte da Subprefeitura Ermelino Matarazzo, Percival Paulinho da Silva. “Foi maravilhoso porque a gente teve clareza de como funciona o recurso público, a prestação de contas, a licitação, como esse dinheiro é gasto e que tem alguém sempre cuidando do dinheiro público. [...] São informações que faço questão de repassar para os demais, por exemplo, que existe uma ouvidoria, que realmente funciona e passa a detectar os problemas. Sobre os cursos, a verdade é que a gente não imaginava sua existência, e ainda grátis, referente à prestação de contas”, destacou Percival.

“Informação é poder e quem a possui, detém o poder. Vocês estão descentralizando a informação, trazendo para o povo. Isso é democracia de verdade: é o povo tomando conta daquilo que é do povo, o que é importante”, declarou o corretor de imóveis Carlos Augusto dos Santos, ressaltando que não tinha visão desse acompanhamento feito nos contratos da prefeitura. "Eu entendia que era uma questão um pouco mais distante, mais documental. Percebi que não, que existem ali profissionais que acompanham o processo mais de perto”, completou ele.

De tudo o que foi apresentado, o que mais chamou a atenção do corretor de imóveis foi o esclarecimento sobre as fiscalizações. “O que achei mais importante é esse trabalho de fiscalização, da tomada de contas, do Tribunal buscar entender, fiscalizar e evitar os prejuízos, que é isso que tem importância muito grande e traz mais recursos ainda para os cofres públicos”, finalizou Carlos Augusto dos Santos.

O supervisor de habitação da Subprefeitura Ermelino Matarazzo, Vanderlei Muniz Ferreira, demonstrou interesse pelos cursos da EGC. “Sou estudante de Gestão Pública e estava falando com o professor André Galindo sobre a possibilidade de me aprofundar nas questões em que o Tribunal de Contas atua junto à Prefeitura; é fundamental para que os gastos, o dinheiro investido em toda a cidade seja monitorado e implementado para a zeladoria da capital”. Outro assunto que chamou sua atenção foi o IRIS, pois, de acordo com o servidor, “é uma ferramenta que dá visibilidade em relação às benfeitorias e o acompanhamento do que será feito para cada região também”, disse Vanderlei.

O projeto Cidadania em Contas do TCMSP retorna em 2020 para completar o quadro de todas as 32 subprefeituras de São Paulo.

Depoimentos:

Percival Paulinho da Silva

Carlos Augusto dos Santos

Vanderlei Muniz Ferreira